quarta-feira, 17 de agosto de 2011

OI GALERA TÁ CHEGANDO O DIA !

CONVITE

FRENTE DA CAMISA !

sábado, 13 de agosto de 2011

II Ciclo Nacional de Conversas Negras



Será realizado entre os dias 25 e 27 de agosto o II Ciclo Nacional de Conversas Negras: Agosto Negro ou o Que a História Oficial Ainda Não Conta. A iniciativa reunirá diversos segmentos sociais para o debate acerca da descriminação e desigualdades raciais.



Coordenado pelo Projeto Raízes de Áfricas, o II Ciclo se constitui em ação de formação continuada, com o objetivo de não só estabelecer espaços formativos, como também visibilizar mecanismos para o exercício do controle social relativo as políticas públicas para promoção da igualdade racial.



Dentro da programação dos dias 25 e 26 teremos conferências, atrações afro-culturais, registros de experiências e palestras, dentre elas “A política pós-Revolução de 1930, a Frente Negra Brasileira e Abdias Nascimento”, com Elisa Larkin Nascimento, doutora em psicologia pela USP e mestre em Direito e em Ciências Sociais pela Universidade do Estado de Nova Iorque. Co-fundadora e atual diretora-presidente do IPEAFRO – Instituto de Pesquisas e Estudos Afro-Brasileiros idealizou e organizou o curso “Sankofa: Conscientização da Cultura Afro-Brasileira” na PUC-SP e na Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ). Autora de Cultura em Movimento, Guerreiras da Natureza, A Matriz Africana no Mundo, entre outros. Elisa é esposa de Abdias Nascimento.




No sábado, 27 de agosto o diálogo em prosa dará lugar aos poemas no V Festival Alagoano das Palavras Pretas: Orikis: Axés do Sangue e da Esperança: Uma homenagem especialíssima para Abdias Nascimento. Durante o Festival haverá a leitura de poemas de Abdias Nascimento, ainda, desconhecido do grande público.


Contando com o apoio do Ministério de Educação, Fundação Cultural Palmares, Federação das Indústrias do Estado de Alagoas, Secretaria da Mulher da Cidadania e dos Direitos Humanos, Polícia Civil, Polícia Militar, Secretaria de Estado da Educação e do Esporte, o II Ciclo será realizado das 08 às 18 horas na Federação das Indústrias do Estado de Alagoas, Av. Fernandes Lima, 385, Auditório Gilberto Mendes de Azevedo 1º andar – Farol.


Com certificação de 30 horas, as inscrições podem ser solicitadas pelo e-mail raizesdeafricas@gmail.com


Mais informações: (82) 8827-3656/3231-4201


Fonte: http://www.cadaminuto.com.br/blog/raizes-da-africa


quinta-feira, 11 de agosto de 2011

MACULELÊ

    

Em Santo Amaro da Purificação, no Recôncavo Baiano, cidade marcada pelo verde dos canaviais, é terra rica em manifestações da cultura popular de herança africana. Berço da capoeira baiana, foi também o palco de surgimento do Maculelê, dança de forte expressão dramática, destinada a participantes do sexo masculino, que dançam em grupo, batendo as grimas (bastões) ao ritmo dos atabaques e ao som de cânticos em dialetos africanos ou em linguagem popular. Era o ponto alto dos folguedos populares, nas celebrações profanas locais, comemorativas do dia de Nossa Senhora da Purificação (2 de fevereiro), a santa padroeira da cidade. Dentre todos os folguedos de Santo Amaro, o Maculelê era o mais contagiante, pelo ritmo vibrante e riqueza de cores.




       Sua origem, porém, como aliás ocorre em relação a todas as manifestações folclóricas de matriz africana, é obscura e desconhecida. Acredita-se que seja um ato popular de origem africana que teria florescido no século XVIII nos canaviais de Santo Amaro, e que passara a integrar as comemorações locais. Há quem sustente, no entanto, que o Maculelê tem também raízes indígenas, sendo então de origem afro-indígena.



      Conta a lenda que a encenação do Maculelê baseia-se em um episódio épico ocorrido numa aldeia primitiva do reino de Ioruba, em que, certa vez, saíram todos juntos os guerreiros para caçar, permanecendo na aldeia apenas 22 homens, na maioria idosos, junto das mulheres e crianças. Disso aproveitou-se uma tribo inimiga para atacar, com maior número de guerreiros. Os 22 homens remanescentes teriam então se armado de curtos bastões de pau e enfrentado os invasores, demonstrando tanta coragem que conseguiram pô-los em debandada. Quando retornaram os outros guerreiros, tomaram conhecimento do ocorrido e promoveram grande festa, na qual os 22 homens demonstraram a forma pela qual combateram os invasores. O episódio passou então a ser comemorado freqüentemente pelos membros da tribo, enriquecido com música característica e movimentos corporais peculiares. A dança seria assim uma homenagem à coragem daqueles bravos guerreiros.

     No início do século XX, com a morte dos grandes mestres do Maculelê de Santo Amaro da Purificação, o folguedo deixou de constar, por muitos anos, das festas da padroeira. Até que, em 1943, apareceu um novo mestre – Paulino Aluísio de Andrade, conhecido como Popó do Maculelê, considerado por muitos como o “pai do Maculelê no Brasil”. Mestre Popó reuniu parentes e amigos, a quem ensinou a dança, baseando-se em suas lembranças, pretendendo incluí-la novamente nas festas religiosas locais. Formou um grupo, o “Conjunto de Maculelê de Santo Amaro”, que ficou muito conhecido.

     É nos estudos desenvolvidos por Manoel Querino (1851-1923) que se encontram indicações de que o Maculelê seria um fragmento do Cucumbi, dança dramática em que os negros batiam roletes de madeira, acompanhados por cantos. Luís da Câmara Cascudo, em seu “Dicionário do Folclore Brasileiro”, aponta a semelhança do Maculelê com os Congos e Moçambiques. Deve-se citar também o livro de Emília Biancardi, “Olelê Maculelê”, um dos mais completos estudos sobre o assunto.


Minhas meninas do maculelê.

     Hoje em dia, o Maculelê se encontra integrado na relação de atividades folclóricas brasileiras e é freqüentemente apresentado nas exibições de grupos de capoeira, grupos folclóricos, colégios e universidades.

sábado, 6 de agosto de 2011

CENTRO DE TREINAMENTO - AULAS NORMAIS.

AS AULAS JÁ RETORNARAM NO NOSSO CENTRO DE TREINAMENTO ESPERO PODER CONTAR COM TODOS PARA UMA GRANDE RODA NESSA SEGUNDA FEIRA DIA 09/08 * OS HORÁRIOS CONTINUAM OS MESMOS 19:00 ÀS 21:30 BEIJÃO MESTRANDA KODAK

quarta-feira, 3 de agosto de 2011

DIA DO CAPOERISTA.











MINHA ALUNA MARCELINA  6 ANOS DE IDADE ...MINHA SEMENTINHA ! FOTO HOMENAGEM AO  GRUPO CENTRO INTEGRADO DE CAPOEIRA N´GOLO BRASIL!









































PARABÉNS AO MEU FILHO , INSTRUTOR BOGADO !  E  AO MEU  GRUPO QUE HOJE ESTÁ COMEMORANDO 1 ANO DE VIDA   E A TODOS  PELO CAPOERISTA   HOJ E  É O NOSSO DIA .


  DIA 03 DE AGOSTO 


DIA DO CAPOERISTA , ANIVERSÁRIO DE BOGADO E  DO GRUPO NOSSO GRUPO ... ETÁ DIA ESPECIAL !

Praticar capoeira é ensinar a inteligência e



pensar com velocidade e exatidão e, ao corpo obedecer com justiça.

Parabéns pelo dia do Capoeirista





OBSERVAÇÃO : O ANIVERSÁRIO DO GRUPO SERÁ COMEMORADO DIA 22 DE AGOSTO JUNTO A NOSSA 22ª RODA DA AMIZADE  FIQUEM LIGADOS  BEIJÃO MESTRANDA KODAK !

EVENTO 2013 CICN´GOLO BRASIL MESTRANDA KODAK

ANIVERSÁRIO DE 3 ANOS CICN´GOLO BRASIL

Aniversário CICNGBRASIL 2 ANOS

CENTRO INTEGRADO DE CAPOEIRA N´GOLO BRASIL

O Centro Integrado de Capoeira N´Golo Brasil , foi fundada no dia 20 de Agosto de 2010 pela Contramestra Kodak , e apesar de ser um grupo novo, é um grupo que através de sua qualidade vem crescendo muito rapidamente. O grupo tem sua sede na cidade de São Gonçalo, no Rio de Janeiro, com o principal local de treino localizado na Rua Itaocara 56, Quadra do Piu POint em frente a Universo de São Gonçalo .As cordas (graduações) são compostos pelas cores da bandeira do Brasil, o nome "N´Golo " em homenagem a danças da zebras, um luta africana oriunda de angola e o símbolo foi uma criaçao da própria Contramestra kodak.



História do nome "Centro Integrado de Capoeira N´Golo Brasil":



A Origem .



Quando pensei em emancipar da da minha ex associação , pensei em varias coisas ,mas a primeira foi em ser integra e com isso, pensando em tudo que vivi e pesquisei na capoeira não queria copiar nada , mas ser capoeira em primeiro lugar e me veio a palavra N´Golo na cabeça.

N´Golo : Na África está luta... traduzida como “Dança as Zebras”. Luta que só era praticada por guerreiros , que tinha previlégio junto as lideres das tribos e sempre preferidos pelas mulheres na hora de casarem por ser os mais fortes e sadios. Ao serem trazidos os negros angolanos passaram a usar está luta não mais pra ser divertirem ,mas para se defender das atrocidades do homem branco.

Mas como já existem alguns grupos com esse nome , sejam angola ou regional decidi, colocar a palavra integrado , para ser mas completa , integral, completo ,inteiro,integralizar, fazer parte de um todo, tornar inteiro. Então com essa palavra fiquei mas segura do que realmente quero com minha capoeira, que é fazer com que ela seja uma só o mas contemporânea possível,não importando angola ou regional. E Depois veio a palavra centro que já diz por si só, ponto eqüidistante de todos os pontos, em torno, terreiro, posição política eqüidistante da direita ou esquerda.

Não queremos ser de nenhum lado e sim o centro de tudo na Capoeira.

Capoeira: por que somos capoeiristas .

E a palavra Brasil.....vem em homenagem a nosso País e sua Bandeira , por isso nosso quadro feito com as cores da nossa bandeira ..para a homenagem ser completa .

Enfim o nome : Centro integrado de capoeira N´GOLO BRASIL .



O objetivo do grupo é dar ênfase a filosofia de que a capoeira é uma unidade, obedecendo os fundamentos, as tradições e disciplinas nela contida. E deixar em aberto o caminho da criatividade, evolução e crescimento do capoeirista nas diversas áreas onde o Centro Integrado de Capoeira N´Golo Brasil.



Centro integrado de Capoeira N´Golo Brasil oferece, como a dança, a luta, o teatro, percussão instrumental, recreação e outros. Acima de tudo o respeito mútuo, afim de preservar a integridade física e moral de nossos adeptos.

CENTRO INTEGRADO DE CAPOEIRA N´GOLO BRASIL

CENTRO INTEGRADO DE CAPOEIRA N´GOLO BRASIL
CLIQUE NA IMAGEM SITE DO GRUPO

Clique na imagem

VideoBar

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

PROJETO MAIS EDUCAÇÃO E.M.ROTARY

PROJETO MAIS EDUCAÇÃO

PROJETO MAIS EDUCAÇÃO
E.M.PROFª MARLUCY SALLES DE ALMEIDA / E.M ANTONIO CARLOS JOBIM